Calculadora Salarial

Está a ganhar o que merece?

 

Compare o seu salário com o de mihares de profissionais qualificados em Portugal

Blogues

CONSELHOS DE CARREIRA PARA A GERAÇÃO Y

Publicado por Mark Bowden, Managing Director Southern, Central, Eastern Europe and the Middle East na Hays

Tem havido muita discussão recentemente em torno das características e comportamento dos "Millennials", também conhecidos como "Geração Y".

Olhando pelo lado positivo, a Geração Y é considerada liberal, com uma mente aberta, defensora dos direitos das minorias, optimista, expressiva e confiante. No entanto, também é muitas vezes descrita como a “Geração Eu, Eu e Eu”, uma geração que presta pouca atenção aos valores intrínsecos da auto-aceitação, comunidade ou ligação a um grupo, e que está mais interessada em valores extrínsecos de dinheiro, fama e imagem. Todas as gerações têm os seus aspectos positivos e negativos, mas o que é que causa estas diferenças geracionais? Não há respostas definitivas, mas é geralmente aceite que as características de cada geração são formadas e moldadas pelas experiências e influências do seu ambiente.

A Geração Y tem sido influenciada por momentos muito conturbados. A maioria dos que terminam a sua formação académica têm de enfrentar perspectivas de emprego nada animadoras. Na Europa do Sul, por exemplo, os índices de crescimento económico nunca foram considerados fortes, nem mesmo nos supostos bons momentos que antecederam a crise financeira. Mas desde que a crise começou, assistimos a um aumento exponencial das taxas de desemprego jovem em Espanha, Itália e Portugal, para níveis perto dos 50%. Este não é certamente o tipo de ambiente que possa inspirar um recém-licenciado. Se juntarmos a isto a instabilidade económica e os escândalos de corrupção que têm afectado estes países, é fácil compreender o porquê desta Geração Y ter tão pouca confiança no ambiente que a rodeia. Questionam o sistema e desconfiam de quem consideram ser parte integrante das instituições.

Não admira que a Geração Y esteja pouco interessada em assumir a responsabilidade de uma carreira; na verdade, muitos procuram adiar a maior parte das responsabilidades até atingirem uma fase mais tardia das suas vidas. Sem o conforto de uma economia estável, a Geração Y tende a procurar formas de ganhar dinheiro e de tomar decisões a curto prazo, em vez de optarem por uma perspectiva a médio ou longo prazo. Assim, a ideia de construir uma carreira está simplesmente… demasiado distante.

No entanto, tenho notícias para os “Millennials”: citando um muito conhecido Baby Boomer, “…the times they are changing…” (“…os tempos estão a mudar…”).

O que quero eu dizer com isto?

Antes de mais, a primeira coisa a ter em conta é que, após este período traumático de instabilidade financeira e política, o mundo não acabou. Não houve nenhum apocalipse, nenhum grande cataclismo. Na verdade, o mundo parece estar em modo de recuperação. Claro que vamos encontrar alguns contratempos pelo caminho, mas de um modo geral o sistema financeiro ainda existe, tal como os nossos governos, e o tecido social permanece praticamente inalterado. No entanto, algumas coisas mudaram; a actual situação da Geração Y começa a passar de curto para longo prazo.

Então o que reserva o futuro para os nossos “Millennials”?

Terão de trabalhar mais tempo que os seus pais. A idade da reforma está a aumentar na maior parte dos países desenvolvidos, como medida para reduzir o stress financeiro colocado em sistemas de segurança social subfinanciados. As reformas da Geração Y serão menos generosas do que as dos seus pais, e os benefícios terão de ser reduzidos para que o sistema possa funcionar. Para se poder reformar confortavelmente, a Geração Y terá de contribuir mais e por mais tempo para um eventual plano de pensões. Para os desempregados, os benefícios estão a ser cortados pelas mesmas questões financeiras. Os que estão a trabalhar pagarão impostos mais altos do que a geração anterior, e é provável que essa tendência se mantenha por muito tempo, já que os governos serão forçados a equilibrar as contas para pagar uma dívida insustentável.

Tendo em conta este cenário, torna-se claro que a Geração Y deveria reflectir mais sobre as suas decisões de carreira, e provavelmente essa análise deveria começar mais cedo do que imaginam.

Deixo alguns conselhos rápidos para Millennials que se encontrem à procura de emprego:

 

  • Escolha a área de estudos certa. Há milhares de licenciados no desemprego nas áreas de Artes e Ciências Sociais. Enquanto isso, Engenharias e Tecnologias têm imensa procura e podem proporcionar oportunidades de carreira mais rápidas e mais bem remuneradas.
  • Após terminar a sua formação académica, arranje um emprego num espaço de tempo razoável. São inúmeras as tentações para quem termina a formação académica. No entanto, longos períodos de inactividade num CV não ajudarão certamente a encontrar a oportunidade certa.
  • Caso decida parar durante um tempo após a formação académica, faça alguma coisa de útil. Trabalhar para instituições de solidariedade, viajar e aprender idiomas serão mais-valias para o seu CV, e dirão algo sobre si enquanto pessoa.
  • Conseguir demonstrar algum nível de experiência é uma vantagem. Talvez possa trabalhar enquanto estuda, demonstrando assim a um potencial empregador que consegue conjugar várias coisas. Além de ser um sinal de independência e de responsabilidade financeira.
  • Só porque estudou uma área específica, não significa que terá um emprego à sua espera. É provável que tenha de procurar oportunidades num leque mais alargado de áreas do que esperava inicialmente. Restringir a sua pesquisa apenas à sua área de estudos pode ser muito limitativo, já que o sistema educativo não está minimamente alinhado com as necessidades do mercado de trabalho.
  • Actualize os seus conhecimentos de idiomas, sobretudo Inglês, que começa a tornar-se obrigatório para muitos empregadores multinacionais.
 
Por fim, seja o que for que decida fazer, boa sorte para a sua pesquisa de emprego.
 
Mark Bowden
Managing Director Southern, Central, Eastern Europe and the Middle East
Hays

A Hays nas redes sociais

A Hays nas redes sociais

    

HaysSearchForm Portlet

Hays custom site search

Pretende recrutar?

Pretende recrutar?

Envie-nos as suas questões ou pedido de informação para:

Envie-nos o seu pedido Outros contactos