Este site utiliza cookies. Se continuar, está a dar-nos o seu consentimento; mas pode alterar as configurações de cookies a qualquer momento.

Inquérito a profissionais e empregadores
Atração e retenção de talento

Guia do Mercado Laboral 2017 - Inquérito a Profissionais e Empregadores.png

Para esta edição do Guia do Mercado Laboral, cerca de 3800 profissionais qualificados e mais de 700 empregadores aceitaram partilhar connosco a sua visão e as suas expectativas em questões tão fundamentais como perspetivas de carreira, formação, benefícios, competências e planos para 2018.


As respostas que recebemos aos inquéritos deste ano, aliadas a mais de uma década de recolha de dados, ajudaram-nos não só a identificar a evolução dos principais desafios do mercado laboral, como também a prever as tendências que terão impacto na estrutura e estratégia de milhares de empresas a atuar em Portugal.

Porque analisar todos os dados numa perspetiva nacional e generalista seria altamente redutor, procurámos respeitar a diversidade regional e setorial do mercado português, apresentando resultados e análises específicas quando as diferenças se revelaram suficientemente relevantes. E, de facto, ficou patente ao longo desta nossa análise que as prioridades e perspetivas podem variar consideravelmente consoante a área de atuação, localização e, no caso dos empregadores, dimensão ou tipo de empresa.
 

Crescer e gerir num mercado competitivo 

De acordo com os resultados do nosso inquérito, a esmagadora maioria das empresas apresentou resultados em linha ou até mesmo acima da expectativas, o que revela um ano bastante positivo e alinhado com o bom momento da economia nacional. Estes bons resultados acabaram por se refletir noutros indicadores: 89% dos empregadores afirmam que a sua empresa efetuou contratações em 2017, valor esse que se apresenta bastante acima das expectativas de recrutamento avançadas inicialmente para esse ano (73%). Em quase 30% dos casos, o número de contratações ultrapassou até o previsto, sendo que as dificuldades na retenção de talento poderão ter contribuído parcialmente para este facto, como veremos mais adiante.

Guia do Mercado Laboral 2018.png

2017 foi, também, um ano de aumentos salariais em 66% das empresas, bem como de promoções de colaboradores em quase metade das empresas. Na grande maioria dos casos, essas promoções basearam-se na boa performance do colaborador. No entanto, verificamos que outros motivos são referidos com bastante frequência, como é o caso de processos de reestruturação interna, a necessidade de motivar colaboradores, o crescimento do negócio e das equipas ou questões de equidade interna, entre outros.