Este site utiliza cookies. Se continuar, está a dar-nos o seu consentimento; mas pode alterar as configurações de cookies a qualquer momento neste link.

Um novo paradigma

Paula Baptista, Managing Director da Hays Portugal 1.jpg"Esqueça tudo o que tem como certo relativamente a dinâmicas de recrutamento em Portugal, porque aproximam-se tempos interessantes e desafiantes. A Hays questionou largas centenas de empregadores e mais de dois milhares de candidatos sobre as suas perspetivas e ambições para 2017 e os resultados fazem adivinhar momentos de mudança na atração e retenção de talento no nosso país.

 
Comecemos pelas boas – aliás, excelentes – notícias: 73% dos empregadores a atuar em Portugal pretendem recrutar este ano. Os números são ainda mais inspiradores se analisarmos as regiões Norte e Centro, onde esta percentagem ascende a uns surpreendentes 80% e 82%, respetivamente. Trata-se de um claro indicador do dinamismo do mercado português e das inúmeras oportunidades de carreira que estão a ser criadas por empresas com planos de crescimento ambiciosos.
 
O grande desafio chega-nos, no entanto, do lado dos profissionais qualificados: nunca o interesse dos candidatos em mudar de emprego se apresentou em níveis tão baixos como o deste ano. Pela primeira vez desde que são efetuados estes inquéritos, a percentagem de empregadores que pretendem recrutar ultrapassou a de candidatos que procuram novos projetos profissionais. Este indicador pode vir a alterar profundamente as dinâmicas do mercado de trabalho português como hoje o conhecemos e acentuar ao máximo a competição pelos melhores talentos.
 
Não podemos afirmar, no entanto, que este facto constitua uma surpresa. Observando a evolução das tendências de recrutamento dos últimos anos, os sinais de transformação do mercado laboral eram já evidentes. Desde 2013 que as intenções de contratação vinham aumentando de forma acentuada, tendo estabilizado acima da casa dos 70% nos últimos dois anos – um número extraordinário, se tivermos em conta que, num dos períodos mais críticos da instabilidade económica, esta percentagem chegou a situar-se nuns escassos 33%. No entanto, do lado dos profissionais qualificados em busca de novas oportunidades, o percurso foi precisamente o inverso, tendo vindo a decrescer gradualmente e atingindo este ano a percentagem mais baixa de sempre: 71%.
 

Guia do Mercado Laboral 2017 1.png"73% dos empregadores a atuar em Portugal pretendem recrutar este ano."    

 

O que poderá isto significar para as milhares de empresas de Norte a Sul do país que ambicionam atrair os melhores talentos disponíveis no mercado? De entre todas as dúvidas, podemos apresentar-lhe pelo menos 3 orientações seguras para o próximo ano:

  • 1. Recrutar a pessoa certa será mais difícil. Naturalmente, o grau de dificuldade dependerá da função e das condições oferecidas. Mas se, até ao momento, conseguiu identificar perfis altamente qualificados e 100% alinhados com a cultura da sua empresa, em 2017 será mais difícil encontrar esse tipo de talento disponível. 
     
  • 2. A oferta salarial será decisiva. O pacote salarial motivou cerca de metade das recusas de propostas de emprego já neste último ano. Está preparado/a para fazer parte das 23% de empresas que referem o pacote salarial como um dos seus pontos fortes para atração e retenção de talento? 80% dos candidatos qualificados esperam que sim. 

  • 3. Colaboradores mais ambiciosos. Quase 3 em cada 4 profissionais indicam estar insatisfeitos com as suas perspetivas de progressão de carreira. Ainda que este facto não se traduza necessariamente em interesse efetivo numa mudança de emprego, a insatisfação costuma refletir-se na motivação e engagement das equipas. Num ano que se adivinha de crescimento, é certo que os seus colaboradores desejarão crescer com a empresa.
 
Sejam quais forem os desafios que enfrente este ano, estaremos sempre prontos para o ajudar a identificar e atrair o melhor talento. Na Hays, acreditamos que o emprego certo pode mudar a vida de uma pessoa, e que a pessoa certa pode mudar um negócio. Os nossos consultores especializados compreendem a importância de recrutar para a sua empresa profissionais com a mesma determinação e paixão que nos move.
 
Este Guia do Mercado Laboral 2017, que agora lhe apresentamos, é mais um passo na nossa ambição de antecipar as grandes tendências que impactam o mundo do trabalho, para que possa usá-las a favor da sua empresa e do crescimento do seu negócio. Esta, acreditamos, é a missão e compromisso de um verdadeiro parceiro de recrutamento.
 
Aproveito para deixar um especial agradecimento a todos os que, com a sua colaboração, tornaram possível mais esta edição do nosso Guia do Mercado Laboral."
 

Paula Baptista

Managing Director da Hays Portugal