Este site utiliza cookies. Se continuar, está a dar-nos o seu consentimento; mas pode alterar as configurações de cookies a qualquer momento neste link.

Inquérito a profissionais e empregadores
Atração e retenção de talento

Guia do Mercado Laboral 2017 - Inquérito a Profissionais e Empregadores.png

Este é o nono ano consecutivo em que a Hays consulta profissionais qualificados e empregadores em assuntos tão diversificados como perspetivas de carreira, procura e oferta de competências, satisfação salarial e planos para o futuro.


Mais de 2600 candidatos e de 840 empregadores aceitaram participar no nosso inquérito nacional, ajudando-nos a traçar um panorama do mercado de trabalho português e dos desafios que nos esperam no futuro, sobretudo ao nível da atração e retenção de talento. 

 

Reter os melhores profissionais – promover, comunicar e premiar

 

No ano em que o mercado de trabalho português parece ter finalmente retomado o seu dinamismo, quisemos saber até que ponto os profissionais a atuar em Portugal estão satisfeitos com a sua situação laboral, e se consideram procurar novos desafios. Importa recordar que, historicamente, o interesse numa mudança de emprego tem-se mantido na casa dos 70%, habitualmente com valores acima dos 75%. 

No entanto, após o recorde inédito de 83% atingido em 2014, nos últimos anos temos vindo a assistir a uma diminuição no interesse em novos projetos profissionais, que culmina em 2017 com o valor mais baixo de sempre: 71%. É a primeira vez, desde que são realizados estes inquéritos, que a percentagem de candidatos disponíveis para uma mudança de emprego se apresenta mais baixa do que a percentagem de empregadores dispostos a recrutar.

Guia do Mercado Laboral 2017 - Procura e Oferta de Emprego.png


Será este um indicador de que os profissionais qualificados se sentem satisfeitos com a sua situação atual? Poderá ser um reflexo positivo das políticas de retenção e valorização de talento implementadas por muitas empresas em território nacional? 

De modo a responder a estas questões, procurámos saber mais sobre estes profissionais, a sua situação laboral e o seu índice de satisfação, numa tentativa de compreender que fatores poderão estar a influenciar a diminuição da disponibilidade para novos projetos.